ELSINORE: O negócio do tráfico humano. Uma investigação da jornalista Lydia Cacho.

unnamed (6)

«Lydia Cacho tem medo? A pergunta pode ser óbvia, mas a resposta não.» – The Guardian
«Um corajoso trabalho de investigação.» – The Washington Post

«És puta e drogada. Achas que a polícia vai acreditar em ti ou em mim, um empresário de sucesso?»

Esta e outras perguntas são lançadas no livro Escravas do Poder da premiada jornalista mexicana Lydia Cacho. Um livro sobre um negócio que prospera sem olhar a fronteiras, raças ou recessões – o negócio do tráfico humano. Da Turquia ao Japão, da Palestina ao Camboja, do Reino Unido ao México, o tráfico humano atravessa o mundo inteiro, invisível aos cidadãos e ignorado por políticos que fingem não ver — ou que dele também dependem.

Estima-se que cerca de 80 por cento das vítimas do tráfico são entregues à prostituição. Num trabalho de investigação excecional que se prolongou por vários anos, Lydia Cacho desmascara os criminosos e acompanha o rasto das vidas por eles destroçadas.

Em Escravas do Poder, livro editado pela Elsinore, chancela da 20l20 Editora (320 pp l 19,99€ l à venda a 29 de junho), falam na primeira pessoa traficantes de droga e de armas, mafiosos e proxenetas, além das próprias cativas que conseguiram escapar ao carrossel do tráfico. Relato desassombrado das ligações tentaculares do tráfico sexual a um sem-número de indústrias — o turismo, a pornografia, o contrabando, a venda de órgãos e o terrorismo —, tudo depende desta rede global e sem lei, e todos pagamos sem saber o preço destas vidas.

Anúncios

YOGA GIRL: Rachel Brathen, a professora de yoga mais famosa em todo o mundo

unnamed (5)

A sueca Rachel Brathen, conhecida como Yoga Girl, é um verdadeiro fenómeno no mundo do yoga, tendo já conquistado mais de um 1,4 milhões de seguidores no Instagram.

Fruto da sua paixão pelo yoga, do desejo de transmitir os seus benefícios para a saúde física e mental, e do querer estar ainda mais próximo dos seus seguidores, Rachel decidiu lançar o livro Yoga Girl (Nascente | 176 pp | 17,69€), já à venda em todo o país.

Neste livro, Rachel partilha com os leitores a sua inspiradora história de vida: da adolescência conturbada e autodestrutiva que passou na Suécia à vida feliz e equilibrada numa ilha paradisíaca das Caraíbas, tudo conseguido graças ao yoga e à meditação.

Recheado de fotografias de Rachel a praticar yoga em locais maravilhosos e de sugestões de posturas de yoga, ilustradas e explicadas passo a passo, este é o livro ideal para quem acha que está na hora de começar a tratar do corpo e da mente. Rachel oferece, ainda, um conjunto de receitas saudáveis, frescas e deliciosas, e pequenas dicas práticas para o dia a dia.

Aprenda com a Yoga Girl a:

Abraçar o mundo como uma aventura diária ● Aceitar o passado e viver o presente ● Seguir os seus sonhos e a sua intuição sem medos
● Receber as oportunidade de coração aberto ● Amar o seu corpo e a sua alma tal como são.

Novidades Vogais 2015

unnamed

Animorphia é o primeiro a fazer verdadeiro furor entre os livros de pintar para adultos que já foram lançados até ao momento.

Trata-se do livro de colorir mais cobiçado pelas editoras nas Feiras de Bolonha e Londres.

Kerby Rosanes tem 1,3 milhões de seguidores no Facebook e é um dos ilustradores mais conhecidos na Europa.

——-

Animorphia (Vogais | 96 pp | 10,99€) é o livro de pintar mais falado nas redes sociais e o mais aguardado nas dezenas de países onde será publicado. Após pintadas, as imagens são verdadeiras obras de arte, com uma qualidade extraordinária, muito acima do habitual para este tipo de livros.

Bem-vindo ao estranho e fabuloso universo de Kerby Rosanes, um dos artistas de doodles mais populares em todo o mundo. O seu universo é composto de espantosas criaturas e objetos que se fundem e transformam em animais de uma beleza ofuscante.

Neste livro encontra imagens assombrosas para completar e colorir, que o ajudarão a relaxar e a melhorar a sua capacidade de concentração. Animorphia é um livro para colorir, desenhar e explorar.

unnamed (1)

Jack Welch, guru da gestão e autor de Vencer (17.ª edição em Portugal), regressa aos escaparates nacionais pela mão da Vogais, chancela do Grupo 20l20 Editora, com um manual atualizado e essencial para todas as pessoas envolvidas no presente e no futuro do mundo dos negócios.

Num momento em que os mercados estão a sofrer transformações tão rapidamente que parece ser impossível acompanhá-los, as dúvidas abundam:

Como conseguem algumas empresas crescer em plena crise, enquanto outras fecham ou perdem valor? • Qual é a melhor forma de recuperar a competitividade perdida? • Como podem os líderes desbloquear a paixão e maximizar a performance de cada membro da sua equipa? • Como conseguir o emprego ou a carreira com que sempre sonhámos? • Porque é que passou a ser tão difícil encontrar a carreira certa?

Em MBA da Vida Real (Vogais | 256 pp | 16,59€), Jack Welch e Suzy Welch dão-lhe as respostas. Os seus conselhos vão para além das teorias de gestão, baseando-se na sua vasta experiência das últimas décadas com empresas grandes e pequenas, em quase todas as indústrias e por todo o mundo.

O resultado é este livro, com lições inovadoras de aplicação imediata — ainda que por vezes contraintuitivas — para criar organizações fortes e estratégias vencedoras, montar equipas de grande talento e eficiência, e gerar carreiras sólidas e prósperas no atual ambiente empresarial.

unnamed (2)

Proposta de abordagem ao tema Educação Financeira:

Partindo do conteúdo do livro e com base na ideia da implementação da educação financeira em contexto educativo e formativo no ano letivo de 2015/16 (pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e ensino secundário), sugerimos a realização de um artigo completo, interessante e de interesse do público em geral.
______ ________ ________

Para o nem sempre consensual Robert Kiyosaki, especialista e conferencista em assuntos financeiros, a escola está muito longe de nos preparar para a vida real. Os jovens têm dinheiro — muitos têm contas bancárias e cartões de débito —, mas nunca tiveram aulas sobre investimentos, juros, dívidas, ativos, passivos, etc. E, enquanto forem analfabetos financeiramente, não poderão aprender a fazer com que o dinheiro trabalhe para eles.

Por isso, segundo Kiyosaki o conselho mais perigoso que se poderá dar a alguém nos dias de hoje é: «Vai para a escola, tira notas altas e depois procura um emprego seguro.» É que atualmente a boa formação e os resultados académicos não bastam para garantir o êxito e ter o controlo pessoal do próprio destino financeiro. É necessário saber gerir o dinheiro pessoal, criando riqueza mesmo quando não se tem um vencimento muito elevado e outro tipo de receitas.

Depois de reeditar em Portugal o bestseller Pai Rico, Pai Pobre, o livro de finanças pessoais mais vendido em todo o mundo, a Vogais, chancela do Grupo 20l20 Editora, edita agora Pai Rico, Pai Pobre para Jovens (Vogais l 160 pp l 14,39€).

Quando era jovem, Robert Kiyosaki não era propriamente o melhor aluno da turma, mas isso não acontecia por ele não ser inteligente. Ele simplesmente não aprendia da forma que os professores esperavam. Então, Robert encontrou um mentor que lhe ensinou tudo sobre dinheiro e investimento. Robert teve tanto êxito que se reformou quando ainda era muito novo.

Pai Rico, Pai Pobre para Jovens faz mais do que partilhar esta incrível história pessoal. Mostra como fazer escolhas nos dias de hoje, as escolhas dos ricos. Escrito de forma muito acessível e recheado de notas complementares e de jogos, este livro vai empurrar os jovens para o sucesso ao ensinar:

• A falar a língua do dinheiro.
• Formas de pôr o dinheiro a trabalhar para ti.
• Dicas para o êxito — incluindo «trabalhar para aprender, não para ganhar dinheiro».
• Jogos que vão ajudar a dominar as ferramentas fundamentais para fazer o dinheiro crescer.

Pai Rico, Pai Pobre para Jovens é a arma secreta que vai permitir ganhar a liberdade para os jovens gerarem a riqueza que procuram. Não importa se as notas são boas ou más. Para serem bem-sucedidos financeiramente basta serem inteligentes. Nunca é cedo demais para começarem a gerir bem o dinheiro.

unnamed (3)

Trata-se de uma obra desafiadora, desconcertante e inteligente — uma perspetiva única e original sobre a evolução da espécie humana e o impacto do homem no planeta. Sapiens: História Breve da Humanidade está já traduzido em 30 línguas, e chegou ao top dos livros mais vendidos (não-ficção) em países como Inglaterra e EUA.

Aqui estão disponíveis alguns dos artigos e entrevistas a Yuval Harari. Terrorismo, tecnologia, o futuro da humanidade, entre outros assuntos relevantes e contemporâneos, podem ser abordados em entrevista ao autor. E, não deixe de ler as dezenas de elogios da crítica e dos principais meios de comunicação internacionais, aqui.

SINOPSE

O fogo deu-nos poder. O boato ajudou-nos a saber cooperar. A agricultura aumentou o nosso apetite. A mitologia manteve a lei e a ordem. O dinheiro deu-nos algo em que confiar. As contradições geraram a cultura. A ciência fez-nos letais.

Sapiens: História Breve da Humanidade é uma obra fundamental que não se concentra apenas no passado, procurando também explicar os significados mais profundos e as implicações morais e existenciais dos acontecimentos humanos. Este livro apresenta toda a evolução da nossa civilização, desde a pré-História, passando pelos Descobridores e os primeiros colonos, as revoluções agrícola e industrial, e até aos desenvolvimentos científicos e tecnológicos das últimas décadas.

Recorrendo a ideias da paleontologia, antropologia e sociologia, o autor, Yuval Noah Harari, analisa os principais saltos evolutivos da humanidade, desde as espécies humanas que coexistiam na Idade da Pedra até às revoluções tecnológicas e políticas do século xxi — que nos transformaram em deuses, capazes de criar e de destruir.

Num registo acessível e entusiasmante, Sapiens: História Breve da Humanidade procura não só explicar o que aconteceu, e como aconteceu, mas também revelar o que sentiram os seres humanos durante os vários processos evolutivos — e perceber se somos hoje um ser mais feliz ou infeliz.

Sapiens: História Breve da Humanidade desafia o leitor a reconsiderar as explicações mais correntes sobre a História, enfrentando questões essenciais como:

• Como conseguiu o homo sapiens conquistar a terra?
• O que aconteceu às outras espécies humanas?
• Quando surgiram o dinheiro, os estados e a religião, e porquê?
• O que levou o capitalismo e a ciência a tornarem-se as crenças dominantes da era moderna?
• Como crescem e caem os impérios?
• Como é possível que grupos minoritários dominem vastas populações?
• Por que motivo quase todas as sociedades acreditaram que as mulheres são inferiores aos homens?
• A História é justa?
• Será que o homo sapiens ainda existirá dentro de 100 anos?

unnamed (4)

«Os Bebés de Auschwitz é uma história excecional, resultante de um extraordinário trabalho de pesquisa, escrito com uma empatia diligente.» – The New York Times

—– —–

Entre as vítimas do Holocausto enviadas para Auschwitz em 1944, três mulheres levavam consigo um segredo quando passaram pelos portões do infame campo de concentração. Priska, Rachel e Anka estavam grávidas de poucas semanas, enfrentando um destino incerto longe dos seus maridos. Sozinhas, assustadas, e após terem perdido tantos familiares às mãos dos nazis, sentiam-se determinadas em lutar pelo que lhes restava: as vidas dos seus bebés.

Estas mulheres deram à luz em circunstâncias inimagináveis, com intervalos de semanas entre si. Quando nasceram, os bebés pesavam menos de 1,5 Kg cada, e os seus pais haviam sido assassinados pelas forças alemãs, enquanto as mães se haviam transformado em «esqueletos andantes».

Os Bebés de Auschwitz, editado pela Vogais, chancela da 20l20 Editora (416 pp l 19,99€), segue a incrível história das mães: primeiro em Auschwitz, onde sofreram o escrutínio cruel de Josef Mengele, o médico nazi conhecido como Anjo da Morte, que selecionava as mulheres grávidas à entrada do campo, destinando-as às câmaras de gás; depois num campo de trabalho alemão onde, esfomeadas, lutaram por esconder a sua gravidez; e, por fim, durante a viagem infernal de comboio, que durou 17 dias, até ao campo de concentração de Mauthausen, onde viriam a ser libertadas pelos Aliados.

A biógrafa Wendy Holden descreve toda a história com minúcia, destacando a coragem destas mulheres e a bondade dos desconhecidos que as ajudaram a sobreviver. Os Bebés de Auschwitz é um livro comovente e uma celebração da nossa capacidade de amar, ajudar e sobreviver mesmo nos contextos mais tenebrosos.

A Vogais disponibiliza os primeiros capítulos desta extraordinária história, aqui.
A capa em alta resolução segue em anexo. A Wendy Holden, bem como os três bebés, estão disponíveis para entrevistas.
A Vogais disponibiliza, aqui, as fotografias do miolo do livro para artigos mais elaborados, podendo, no entanto, disponibilizar, a pedido, mais imagens.

Até que a morte nos una – Jonathan Tropper [Opinião]

AtéQueAMorteNosUna Kfrente 300dpi (2)

Opinião:

Logo que vi o título deste livro e li a sinopse, percebi que este era um livro para mim. Tinha de o ler. Esta história fala sobre Judd Foxman e como de um momento para o outro perdeu tudo o que tinha. A sua esposa perdeu o bebé que estava quase a nascer a daí a uns meses encontrou-a na cama com o seu chefe. O seu mundo acaba por ficar completamente de pernas para o ar e recebe mais uma notícia fatal: o seu pai faleceu. Para cumprir com o seu último desejo a família reúne-se toda na casa dos pais para cumprir com uma tradição judaica.

O ponto fulcral da história toda é o relacionamento que Judd tem com os seus irmãos e irmãs e com a sua mãe. Todos num ponto qualquer das suas vidas falharam e poderão não estar a vida ideal que sempre sonharam ter. Inicialmente o livro parece ser muito deprimente e com uma história mirabolante mas aos poucos vemos que o autor soube misturar o humor negro e dar um toque humorístico ao livro que eu como leitora não esperava.

É uma família disfuncional e que apesar de se amarem não o demonstram e acabaram por deixar que fosse o tempo a passar por eles. É verdade que deles todos o pior é sem dúvida Judd que mais uma vez se vê numa teia confusa quando a mulher marca um encontro com ele e confessa-lhe mais um segredo que irá mudar completamente o seu futuro quer ele queira ou não.

É um livro diferente do comum e por isso é que eu gostei tanto dele. Aos poucos vamos nós vendo naquela família disfuncional e estranha já que nós todos somos no fundo um pouco estranhos e disfuncionais.

Adorei este livro!

5*

Sinopse:
Quando Judd encontra a esposa na cama com o seu chefe e começava a pensar que as coisas não podiam piorar, recebe a notícia da morte do pai, cuja última vontade é que os filhos cumpram uma tradição que pretende juntar toda a família durante sete dias. Algumas famílias podem-se tornar tóxicas quando expostas a uma exposição prolongada e a família Foxman em particular pode atingir um nível de toxicidade letal…

Mudanças para o segundo semestre de 2015

Diário de uma advogata

Junho é o último mês do primeiro semestre. E não sei com relação a vocês, mas, sempre que ele chega, me vem a cabeça aquelas ideias revigorantes de fim de ano. Claaro, elas chegam com menor intensidade, porque não existe toda aquela simbologia de réveillon, branco, amigos, festas.. Mas mesmo assim, esse mês traz consigo uma carga de mudança, de pensamento positivo, aquela vontade de fazer tudo certo, de começar de novo!

bebebe

Então, que tal montar mais uma listinha de mudanças?? E, é para cumprir, viu?!

Aaah, para quem pensou que eu me esqueci, a minha listinha de mudanças de 2015 vem sendo acompanhada dia após dia, se quiserem dar uma conferida lá para buscarem inspiração, sintam-se a vontade!
Mudanças para o segundo semestre de 2014

1. Me amar em primeiro lugar sempre!
2. Ser feliz sozinha independente do lugar, da época, do clima e de qualquer coisa!
3. Fazer…

View original post mais 190 palavras

Novidades TOPSELLER

unnamed

Uma perda devastadora. Um segredo escondido durante mais de 20 anos. Mas… estará a verdade prestes a emergir?

Depois da morte do pai, Riley MacPherson regressa a casa para organizar as cerimónias fúnebres e tratar da divisão dos bens. No entanto, em vez de conseguir fechar um ciclo doloroso e encontrar a tranquilidade de que tanto precisa, Riley depara-se com a possibilidade de, afinal, ter sido adotada.

Teria, realmente, vivido 25 anos a acreditar numa mentira? Que outras revelações estarão ali, prontas para serem descobertas? Confusa e sedenta de respostas, inicia uma investigação arriscada para encontrar toda a verdade sobre a sua origem. Uma busca emocionante que acaba por desenterrar informações e factos misteriosos acerca da sua irmã Lisa, uma violinista-prodígio que, dizem, teria cometido suicídio há mais de 20 anos.

À medida que as peças do puzzle se encaixam, Riley percebe que nada é o que parece. Resta saber se estará preparada para a verdade e se será capaz de a aceitar de braços abertos. Uma história arrebatadora, com personagens apaixonantes e reviravoltas inesperadas. Um enredo misterioso que nos prende a cada virar de página.

unnamed (1)

Última descendente legítima da ilustre linhagem dos Médicis, foi prometida ainda adolescente a Henrique, filho de Francisco I de França, e enviada de Itália para um reino desconhecido, onde foi ofuscada e humilhada pela poderosa amante do marido, Diana de Poitiers. Perseverante, Catarina lutou por criar o seu papel no reino que lhe pertencia por direito, com uma força e determinação inatas que a transformavam numa mulher notável.

Além de uma forte personalidade, Catarina possuía ainda, segundo testemunhos, visões premonitórias, as quais, aliadas à orientação do clarividente Nostradamus, a ajudaram a traçar as linhas do seu destino e da sua família. Mas no seu 40.º aniversário, Catarina enviúva e é deixada sozinha, com seis filhos jovens, como regente de um reino dilacerado pela discórdia religiosa entre católicos e huguenotes e as ambições desmedidas de uma família traiçoeira de nobres, os Guise.

Confiando apenas na sua tenacidade, Catarina toma o poder para garantir o trono dos filhos. Mas para salvar França, ela terá de sacrificar os seus ideais, a sua reputação e os segredos mais profundos de um coração agrilhoado.

unnamed (2)

Matthew Fisher é um banqueiro bem-sucedido, posição que lhe permite desfrutar dos prazeres materiais e morar num apartamento com vista para o Central Park. Matt sempre foi um sedutor e um mulherengo incorrigível. Ele admite que, enquanto não encontrar a «mulher certa», se vai divertindo com todas as «mulheres erradas». Apesar disso, ele quer assentar.

Delores Warren é uma mulher diferente. O seu trabalho como engenheira espacial não a impede de ser sensual, extravagante e espontânea. Dee (como é conhecida) é decidida, principalmente no que respeita aos homens. Por ter vivido uma sucessão de relações que correram mal, resolve desistir dos compromissos sérios e aproveitar apenas os encontros casuais pelas noites de Nova Iorque.

Quando se conhecem, Matt acredita que encontrou finalmente a pessoa certa. Conseguirá ele fazê-la mudar de ideias e levá-la a aceitar um relacionamento sério?​

unnamed (3)

Depois de se conhecer o lado cruel do amor, será possível viver um amor verdadeiro?

Tate é enfermeira e muda-se para São Francisco, para casa do irmão Corbin, para estudar e trabalhar. Miles é piloto-aviador e mora no mesmo prédio de Corbin. Depois de se conhecerem de forma atribulada, Tate e Miles acabam por se aproximar e dar início a uma relação exclusivamente física. Para que esta relação exista, Miles impõe a Tate duas regras: «Não faças perguntas sobre o meu passado. Não esperes um futuro.»

Tate aceita o desafio de manter uma relação distante, sem nenhum compromisso, nem sequer o da amizade. A relação alimenta-se assim da atração mútua entre os dois. Miles nunca fala de si nem do seu passado, e comporta-se perante Tate de acordo com as regras que ele definiu. Será Miles capaz de desvendar o que se esconde por detrás desta necessidade tão grande de se distanciar emocionalmente dos outros?

A Estação da Paixão – Sadie Matthews [Opinião]

a estação da paixão

Opinião:

A Estação da Paixão é a continuação do livro A Estação do Desejo e que fazem parte de uma trilogia, só faltando o último livro que ainda não foi publicado em Portugal. Estes livros contam a história de três irmãs que apesar de terem um pai rico, perderam a mãe muito novas.

Tanto o primeiro livro como o segundo conta a história de amor das irmãs com homens mais velhos. Apesar de não ser tão turbulento, este segundo livro prima pelo romance intenso que se desenrola ao longo das páginas.

Enquadrando-se no romance erótico este livro começa com um contrato em que um dos principais termos é que nenhuma das partes se envolva demasiado ao ponto de se apaixonarem.

Tanto este livro como o anterior, a meu ver, mostram como jovens passam de mimadas a pessoas com bastantes responsabilidades. Mostram uma espécie de emancipação já que passam a ser mais livres e a não estar tão presas as ordens do pai.

Gostei mais de Flora do que da irmã do primeiro livro, achei-a mais madura e mais focada no futuro. Gosto muito de Andrei mas tenho que dizer que gostaria de ter visto um pouco mais dele apaixonado. No final do livro senti que tudo se passou demasiado rápido.

A escrita de Sadie é simples, leve e com leves descrições que dão outra intensidade e interesse a toda a história!

Gostei imenso!

3.5*

Sinopse:

Uma história romântica e provocante sobre as fronteiras do amor e os abismos da submissão.
Flora Hammond encontra-se a estudar representação em Paris, perseguindo o sonho de se tornar atriz. Mas não é fácil escapar às atenções públicas que o seu privilegiado estatuto desperta, muito menos lidar com um pai poderoso e obcecado com a segurança das filhas. Para piorar as coisas, a sua irmã mais nova, Freya, acaba de fugir com o guarda-costas.
Enquanto tenta lidar com o que se passa na sua família, Flora conhece Andrei Dubrovski, um misterioso homem de negócios, e uma escaldante atração emerge entre eles. Apesar de avisada para os riscos desse envolvimento, Flora não é capaz de lhe resistir.
Nesse novo mundo que se revela, a paixão entre Flora e Andrei parece ultrapassar a cada dia novos limites. E nada a faz serenar. Nem o vislumbre da dor.