Uma luz furtiva – Nora Roberts [Opinião]

16103654

Opinião:

Uma luz furtiva é o primeiro livro de uma trilogia denominada “As estrelas de Mithra”. O livro conta a história de um conjunto de diamantes que têm uma história/mito, que as torna muito apelativa, principalmente para quem acredita que esse mito é verdadeiro.

Bailey, uma jovem vê-se desamparada quando acorda uma manhã confusa, sem saber onde está e sem saber quem é. Sem demoras, procura um detective privado para que a ajude a “se encontrar”. Quando dá de caras com Cade Parris, a atracção é instantânea. Aos poucos a história vai-se desenrolando e o leitor fica curioso para finalmente descobrir quem afinal é Bailey. Já que ela aparece com uma joia dispendiosa e com uma arma, na realidade não sabemos se ela é culpada ou não de alguma coisa.

O romance é bom, mas mediano, não senti muito química entre este casal. No geral é um livro engraçado para descontrair.

3*

Sinopse:
Como ia desenredar aquele mistério se a cada passo que dava tropeçava com o seu próprio coração? Bailey James não se recordava de nada, nem sequer sabia quem era. Mas saltava à vista que estava metida numa confusão. Numa enorme confusão! E necessitava desesperadamente da ajuda de Cade Parris para sair dela com vida e descobrir como é que se envolvera naquela trapalhada. Desde que pusera os seus olhos na frágil beleza de Bailey, o impassível detetive privado Cade Parris tinha a sensação de que era ele que estava prestes a esquecer-se de quem era. Apostaria qualquer coisa em como Bailey não tinha cometido nenhum delito. Mas o que fazia ela com tanto dinheiro e um diamante do tamanho de um punho?

Anúncios

Cavalo de Fogo, Congo – Florencia Bonelli [Opinião]

551146_575210332516480_721068847_n

Opinião:

Florencia Bonelli nasceu em 1971, na cidade argentina de Córdoba. Com uma formação universitária na área das Ciências Económicas, renunciou à sua atividade profissional para se dedicar à escrita, sua paixão de sempre, e em poucos anos tornou-se numa das mais populares escritoras argentinas da atualidade.

A Porto Editora já publicou desta autora os dois livros da série O Quarto Arcano e o primeiro volume da trilogia Cavalo de Fogo. Eu já li os 3 e adorei, são todos eles fabulosos!

Cavalo de Fogo – Congo, leva o leitor numa alucinante viagem até as terras temidas do Congo. É para lá que Matilde vai, depois da briga e sucessivo rompimento com Eliah. De coração partido parte para cumprir um dos seus sonhos: aliviar o sofrimento das crianças vítimas da violência e da fome. Eliah louco de saudade, não resisti e parte para reconquistar Matilde. Aliado a isso, tenta apoderar-se de uma mina de coltan, um minério que é muito cobiçado no mundo inteiro.

Florencia Bonelli veio mostrar mais uma vez que é uma exímia contadora de histórias. Ela não conta apenas uma história de amor, mas sim conta uma história de amor aliada a disputas políticas e de cariz social e humanitário. Confesso que do Congo eu nada sabia e com a leitura deste livro fiquei a conhecer uma realidade para a qual, confesso, não estava preparada. Ao longo do livro a autora vai dando vislumbres através do trabalho de Matilde da realidade política, social e cultural daquele país. Aprendi que o Congo era uma antiga colónia da Bélgica e que os conflitos e as guerras civis são frequentes. São estas guerras civis que matam milhares de inocentes todos os dias no Congo assim como deixam outros tantos doentes e incapazes para o resto das suas vidas.

Um assunto que a autora abordou e que me deixou completamente desconcertada foi as violações que as mulheres e as crianças sofrem constantemente naquele país. A autora foi até cruel na sua abordagem ao explicitar todos os pormenores. Fiquei bastante chocada e até enojada em algumas partes.

Relativamente ao romance propriamente dito, entre Eliah e Matilde, é explosivo como sempre! Adorei todos os minutos do livros que passei com eles, Matilde não é deste mundo e Eliah é um homem completamente apaixonado, que faz tudo pela mulher que ama.

Tenho de mencionar que uma das coisas que mais adorei neste livro foi os romances paralelos que se desenrolam no livro…um deles ficou no ar e tenho a certeza que a autora o continuará no terceiro livro. Volume que eu aguardo com muita ansiedade.

Florencia Bonelli é uma autora maravilhosa que vale a pena ler. É um livro que contem tudo, desde romance, acção, conhecimento e até diversão! Adoro Eliah e Matilde…adorava vê-los no grande ecrã! Um livro sensacional!

4,5*

Sinopse:
A cirurgiã pediátrica Matilde Martínez abandona Paris rumo ao Congo levada por um sonho: aliviar o sofrimento das crianças vítimas da violência e da fome que imperam naquele país africano. No entanto, deixou para trás uma difícil história de amor que não consegue esquecer.

Por outro lado, o mercenário Eliah Al-Saud chega ao Congo movido por uma ambição: apoderar-se de uma mina de coltan, o minério mais cobiçado pelos fabricantes de telemóveis, que lhe renderá enormes lucros. Mas, acima de tudo, para recuperar Matilde, que considera a razão da sua vida.

Os traumas e segredos que os distanciaram em Paris continuam latentes e, rodeados por um contexto cruel e injusto, a reconciliação parece impossível. Mas Matilde e Eliah tentarão fazer tudo para que o seu amor triunfe.

Um romance carregado de erotismo que dá seguimento à história de Cavalo de Fogo – Paris.

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres

72295_764408953574198_547109308_n

Um dia que merece ser assinalado!

Ao entrar no Facebook pela manhã fiquei chocada com esta foto assim como a descrição nela encontrada:

“Decorre neste momento na Rua Augusta, em Lisboa, uma acção que assinala o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres. Na rua estão expostos 40 sacos de cadáveres, que simbolizam as 40 mulheres assassinadas em episódios de violência doméstica em 2012.
(Dados do Observatório de Mulheres Assassinadas | UMAR)”

Como é possível que estas coisas aconteçam? É preciso alertar e dar o nosso contributo sempre que tenhamos suspeita de alguma coisa. VIOLÊNCIA NÃO É AMOR!!

Informação retirada de: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=764408953574198&set=a.184549938226772.53399.180704148611351&type=1&theater

1459722_10200833232187345_1259854985_n

Harlequin vários! [Opinião]

9788468706276_p0_v1_s260x420

Opinião:
Normalmente gosto dos livros dos xeques, e este foi muito engraçado também! Gostei principalmente da parte inicial quando os protagonistas se encontram e entre eles surge logo uma atracção explosiva! O que surge depois disso tem graves consequências na vida de ambos e quando o Xeque conhece realmente a mulher que lhe tirou o fôlego é aí que tudo se torna ainda melhor. Foi um livro que a nível da química foi muito bom! No geral gostei. Quero salientar que dou 2 estrelas a este livro porque não consigo dar 3 ou 4 estrelas a um livro que eu considero muito mediano. Sei que 2 estrelas corresponde a o “não gostar”, no entanto este 2 para mim é um gostei e quando dou um 3 é que realmente gostei. Espero que entendam a minha lógica.

2*

Sinopse:
Estava decidido a torná-la sua
O xeque Shaheen Aal Shalaan fixou-se nela numa festa e decidiu de imediato que seria sua. Depois de trocarem algumas palavras, Shaheen teve a misteriosa mulher na sua cama, onde ela despertou as paixões que havia recusado durante tanto tempo. Então, o xeque descobriu a verdadeira identidade da sua amante. Era Johara, a sua amiga de infância, agora uma bela mulher sem a qual não conseguia viver. No entanto, o seu lugar na casa real de Zohayd impunha-lhe um casamento de Estado. Mas como poderia virar as costas à mulher que estava à espera de um filho seu?

1463157_630903263619768_486825947_n

Opinião:

Este sim eu gostei bastante! Neste livro ao que normalmente acontece, quem toma as rédeas da sedução é a mulher. Miriam sempre se sentiu atraída pelo professor Rory e sentindo que da parte dele nunca acontecerá nada, esta toma a iniciativa e seduz o pobre professor. Adorei este livro, foi muito sensual e além disso muito divertido!

3*

Sinopse:
Ela estava muito diferente… Apesar da sua vasta cultura, Rory Monahan não encontrava a maneira de explicar as suas reações perante Miriam Thornbury, a encantadora bibliotecária. Algo tinha mudado: nunca até então reparara que as suas pernas eram tão estilizadas, ou tão carnosos os seus lábios. De súbito tinha a sensação de que a sensual e simultaneamente sensível menina Thornbury estava a tentar seduzi-lo! Bom, ele também podia brincar… bem vistas as coisas, era um estudioso, devia averiguar o que estava a ocorrer, não importava que demorasse o dia todo… e a noite toda.

1453491_630903253619769_1013830217_n

Opinião:

Este livro no início agradou-me imenso, no entanto, com o seu desenrolar achei que ficou muito aquém das expectativas. Inicialmente gostei muito da parte do conhecimento de ambos e de como a relação deles se desenvolve, mas depois a parte em que envolvia um pouco de policial não me agradou. Foi mais ou menos!

2*

Sinopse:

Foi uma noite mágica.

Ninguém queria envolver-se em sarilhos com Joe Sanchez. Mas uma delícia de mulher fê-lo cair aos seus pés. Numa noite mágica e repleta de paixão, ele tirou a virgindade àquela bela e tímida jovem, mas após o êxtase ocorreu um desastre. Joe nunca tinha podido esquecê-la e, quando Elena Maldonado apareceu de novo na sua vida, no meio de uma missão muito delicada, ambos tiveram de pôr à prova a firme decisão de não se apaixonarem outra vez. Joe possuía o instinto e a cautela próprios de um agente secreto, e agora estavam em alerta vermelho. Sentia o desejo à flor da pele. Tinha de infiltrar-se… no coração do inimigo.

Sextante Editora – Ficção – O olhar feminino através da lente‏

Sem Título

Título: Infravermelho
Autor: Nancy Huston
Tradutor: Luísa Feijó
Págs.: 296
PVP: 16,60 €

No dia 22 de novembro, a Sextante Editora publica o mais recente romance da escritora canadiana Nancy Huston, Infravermelho, onde, no decurso de uma semana, acompanhamos a vida de uma fotógrafa que procura captar as fragilidades da sociedade e das relações. Através da escrita perspicaz e inteligente da autora, a protagonista deste romance examina um mundo governado por homens, esclarecendo-nos sem piedade a respeito das relações que o dominam. Um livro brilhante, com uma abordagem sensual e libertadora face aos contornos que regem a sociedade atual.

Sobre o livro:
Rena Greenblatt tem quarenta e cinco anos. É artista, repórter e fotógrafa especialista em infravermelho, fotografa à noite, os corpos e os seus abraços. Numa semana de férias na Toscana com o seu envelhecido pai Simon e a sua madrasta Ingrid, esperam-na as paisagens e as obras de arte mas também uma avalanche de memórias: os sonhos, os ressentimentos e as alegrias do seu passado e do seu presente, os quatro maridos, os dois filhos, os mil amantes, as belezas e os horrores dos países visitados, uma infância maravilhosa e uma adolescência roubada. Memórias que Rena comparte com Subra, seu alter-ego, sua amiga inventada, sua consciência.

Sobre a autora:
Nancy Huston nasceu no Canadá em 1953 e vive em Paris. A sua carreira de romancista começa com Les Variations Goldberg, em 1981. Os seus romances posteriores constroem uma carreira com grande reconhecimento internacional, tendo recebido em 2006 o Prémio Femina com a obra Ligne de failles.

Imprensa:
Este livro é uma joia de plenitude feminina, corpo, espírito e alma, no amor dos homens. Um livro que fica. Véronique Poirson

Continua, diz Subra. E Rena conta. (…) Continua, Rena, conta, diz também o leitor, conquistado por uma fala talentosa, muito romanesca, que faz vacilar os códigos da moral, da família, do casal e mesmo da liberdade. Bernard Pivot

Civilização publica “O Último Ato no Teatro da Ópera” de Irene Adler

Sem_T_tulo

Título: O Último ato na Ópera
Autor: Irene Adler
Tradução: Francesco Mai
Páginas: 224
Encadernação: Capa mole
PVP: 9,20€

Irene, Sherlock e Lupin combinaram encontrar-se em Londres. Mas Lupin não apareceu: o seu pai, Théophraste, foi preso sob acusação de roubo e do homicídio de Alfredo Santi, secretário do grande compositor Giuseppe Barzini. Os três amigos iniciam a investigação para o ilibar do crime.

O Último Ato na Ópera é uma narrativa assinada na primeira pessoa, Irene Adler. Porém, apesar de surgir na ficha técnica como correspondente de toda a história, Adler é, na verdade, os autores italianos Alessandro Gatti e Pierdomenico Baccalario, autores de várias séries de ficção juvenil publicadas pela Civilização Editora.

a

Título: O Trio da Dama Negra
Autor: Irene Adler
Tradução: Francesco Mai
Páginas: 224
Encadernação: Capa mole
PVP: 9,20€
Lançamento: Novembro 2013